Amazônia Brasil

TJ do Amapá manda soltar comandante do navio que afundou no AP; polícia diz que ele tentava atrapalhar investigação

O desembargador João Guilherme Lages, presidente do Tribunal de Justiça do Amapá (TJ-AP), mandou soltar o comandante da embarcação Anne Karoline 3, que naufragou no dia 29 de fevereiro no Sul do estado. Ele foi preso na quinta-feira (26), porque estaria atrapalhando a investigação policial.

O naufrágio aconteceu no Rio Amazonas, na divisa entre o Amapá e o Pará, e deixou 34 mortos e 51 sobreviventes (entre passageiros e tripulantes). Ainda há desaparecidos. Neste domingo (29), o caso completou um mês.

A defesa do comandante fez o pedido de habeas corpus na dia seguinte à prisão, na sexta-feira (27), e a liminar foi concedida na noite de sábado (28).

O comandante já havia prestado depoimento na delegacia. O navio, que é de uma empresa de Santarém, estava alugada para ele desde dezembro de 2019, segundo a polícia. Ele fazia geralmente duas viagens por semana, entre Santana e Santarém, com saídas da embarcação na terça-feira e na sexta-feira (viagem dura, em média, 36 horas).

A Polícia Civil entendeu que ele estava tentando atrapalhar a investigação e, por isso, a Justiça determinou a prisão temporária dele por 30 dias.

“Após a oitiva de alguns tripulantes, verifiquei que o comandante da embarcação estaria influenciando no depoimento dessas testemunhas, conturbando a investigação. Em decorrência desse fato, decidi representar pela prisão temporária dele de 30 dias, o que foi decretado na manhã de hoje [26]”, declarou o delegado Victor Crispin, responsável pela investigação das causas do naufrágio.

Fonte: G1