Brasil politica

Tucanos de SP pressionam por saída de Aécio do PSDB e aliados de MG ameaçam retaliação

Above

O pedido de expulsão do deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG), feito por tucanos de São Paulo à Executiva Nacional do PSDB , terá de esperar a instalação do conselho de ética da sigla para ser analisado. Não há previsão para o colegiado entrar em funcionamento. Enquanto isso, aliados de Aécio em Minas Gerais ameaçaram nesta terça-feira revidar com denúncias contra tucanos paulistas.

Os integrantes do conselho de ética foram eleitos em maio passado na convenção nacional do PSDB, mas, por questões burocráticas, o colegiado não foi instalado até agora. O presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, procurou anteontem o ex-vice-governador do Espírito Santo Cesar Colnago para acertar a posse dele na presidência do conselho.

— O código de ética vale para todos os filiados e tudo será analisado à luz do estatuto — afirmou Colnago na terça-feira ao GLOBO.

Ao jornal “Estado de S. Paulo”, o governador de São Paulo, o tucano João Doria, defendeu o afastamento de Aécio e disse que “o melhor seria uma saída espontânea” do parlamentar, para evitar a necessidade de expulsão. O prefeito da capital paulista, Bruno Covas, foi ainda mais incisivo: “Ou eu ou Aécio Neves no partido” .

O pedido de expulsão contra Aécio foi iniciativa do diretório do PSDB na capital paulista, que, por unanimidade, aprovou a representação na quinta-feira passada. Os dirigentes paulistanos defenderam a expulsão como medida para “estancar a sangria” do partido.

— É uma sangria que não estanca. Nos embates políticos aqui na cidade somos sempre confrontados com a questão do Aécio. Precisamos dar resposta — afirmou o presidente do PSDB paulistano, Fernando Alfredo.

Below