Destaques Rondônia

Últimas informações do coronavírus no Estado de Rondônia

Dados da Secretaria de Estado de Saúde (Sesau) confirmaram nesta segunda – feira (06) mais quatro casos do novo coronavírus em Rondônia, aumentando o total para 18 no estado. O estado continua com uma morte registrada por Covid-19.

De acordo com a Sesau, agora são 14 casos confirmados em Porto Velho; um em Jaru; um em Ji-Paraná; um em Rolim de Moura e outro em Vilhena.

Entretanto, a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), confirmou mais três casos. Estes ainda não foram contabilizados nas estatísticas da Sesau.

PORTO VELHO

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) informou na noite desta segunda-feira mais três (3) casos positivos para o novo coronavírus (Covid-19), em Porto Velho. Com isso, sobe para 17 o total de pessoas que testaram positivo para a doença na Capital.

São três mulheres (75, 54 e 18 anos) da mesma família que se recuperam em casa em bom estado de saúde.

Uma ação promovida pelo Instituto Federal de Rondônia (Ifro) e parceiros, doou para o Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro 50 máscaras face shields para reforçar as medidas de segurança no combate à pandemia do novo coronavírus.

A diretoria geral do Hospital de Base disse que a unidade está em processo de organização e com ações para garantir a segurança dos servidores e aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

ARIQUEMES

A Justiça determinou a suspensão imediata do decreto da prefeitura de Ariquemes (RO), publicado na última sexta-feira ( 3), que permitia a reabertura de parte do comércio da cidade. A Ação Civil Pública com tutela de urgência foi proposta pela Defensoria Pública do Estado de Rondônia em desfavor do Município e do prefeito, Thiago Flores.

O prefeito, informou que irá acatar a decisão judicial, mas dentro dos autos irá recorrer, pois entende que “há justificativas suficientes para que consiga fazer valer o decreto do município”. Ele ainda acrescentou que se surpreendeu com a decisão.

JARU

O prefeito de Jaru, João Gonçalves Júnior, assinou nesta segunda-feira (6) um novo decreto que flexibiliza e permite a reabertura de algumas atividades comerciais no município durante a pandemia do novo coronavírus. Entenda aqui.

Decreto municipal autoriza a abertura de parte do comércio local; ação começa a valer a partir desta segunda-feira (06)

Na manhã desta segunda-feira (06), assinei o decreto municipal n°12288/GP/2020, que regulamenta a abertura de diversas atividades comercial em Jaru, entre elas, o funcionamento de serviço de mototaxistas.O decreto municipal prevê que, os estabelecimentos comerciais liberados para funcionar, deverão seguir as recomendações de prevenção, obedecendo às determinações do Ministério da Saúde, Governo do Estado, e da Secretaria Municipal de Saúde.A decisão foi tomada após uma reunião entre representantes da prefeitura de Jaru e da Associação Comercial e Industrial – (ACIJ), na noite do último domingo (05).

Publicado por João Gonçalves Júnior em Segunda-feira, 6 de abril de 2020

CACOAL

 A prefeitura de Cacoal informou haviam sido notificados 41 casos suspeitos de coronavírus na cidade, sendo que 36 já foram descartados e 5 apresentaram resultados inconclusivos. Desses inconclusivos, dois são casos graves de pessoas que estão internadas na UTI do Hospital Regional.

Até o momento a cidade não tem nenhum caso confirmado da doença.

Com essa situação, a prefeitura de Cacoal assinou o decreto que regula o funcionamento do comércio até o dia 20 de abril, devido a pandemia. Segundo o documento, podem funcionar:

  • qualquer estabelecimento do ramo alimentício, de materiais de saúde e materiais de construção civil;
  • bancos, lotéricas, caixas eletrônicos;
  • serviços funerários e da área da saúde;
  • produtos agropecuários, pet shops, postos de combustíveis, oficinas mecânicas e autopeças;
  • hotéis e hospedarias;
  • escritórios de contabilidade, advocacia, cartórios e imobiliárias;
  • lojas de equipamentos de informática, de eletrodomésticos, de confecções e calçados;
  • concessionárias, locadoras e vistorias de veículos;
  • indústrias, fábricas, frigoríficos, laticínios, armazéns, lojas de máquinas e implementos agrícolas;
  • mototaxistas e motoristas de aplicativos;
  • entre outros.

VILHENA

A Prefeitura de Vilhena descartou o diagnóstico de Covid-19 para a criança indígena que morreu na cidade com suspeita de contágio da doença.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a criança foi internada no Hospital Regional de Vilhena com dificuldade para respirar. Mas a insuficiência respiratória prevaleceu e foi a óbito.

Vilhena tem, até o momento, um caso confirmado do novo coronavírus.