Capital Educação Rondônia

Universidade Federal de Rondônia recebe 19 reeducandos do sistema prisional da Capital

Foram 19 Dos 354 reeducandos do sistema prisional de Porto Velho que participaram do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem/2019) a obter uma vaga na Universidade Federal de Rondônia (Unir) e entre os cursos pretendidos estão: geografia, filosofia, história, química, matemática, arqueologia, letras inglês, música, educação física e teatro.

Quatro reeducandas do Centro de Ressocialização Suely Maria Mendonça, três da Penitenciária Estadual Edvan Mariano Rosendo (Panda) , um do Presídio de Médio Porte (Pandinha) e 11 da Penitenciária Estadual Aruana conquistaram uma vaga na universidade e, para frequentar o curso escolhido, necessitam de autorização judicial expedida pelo juiz da Vara de Execuções Penais.

Para os reeducandos, as provas do Enem são aplicadas dentro de uma unidade prisional e em data diferente dos demais candidatos. No dia da prova, apresentam o curso que possuem interesse. Após a entrega dos resultados, a Secretária de Estado da Justiça (Sejus), por meio da Gerência de Reinserção Social (Geres), e o Núcleo de Ensino e Cultura ao Apenado (Nueca), realizam a inscrição do reeducando no curso solicitado.

O sonho em cursar o ensino superior vem despertando os reeducandos, prova disso, é que o número de candidatos do sistema prisional vem aumentado a cada ano.  De acordo com dados do Nueca, houve um salto no interesse dos apenados em participar do Enem entre os anos de 2017 e 2019.

Veja a relação de inscritos por ano na capital e interior:

2017:  288 inscritos (240 da Capital e 48 do interior)
2018: 595 inscritos (387 da Capital e 208 do interior)
2019: 711 inscritos (354 da Capital e 357 do interior)

O Rondoniense (Com informações da Sejus)